Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

No Fundo da Garrafa

No Fundo da Garrafa

25
Nov08

Luz Casal - Sentir

Gitano73

Abre la puerta, no digas nada,
deja que entre el sol.
Deja de lado los contratiempos,
tanta fatalidad
porque creo en ti cada mañana
aunque a veces tú no creas nada.

Abre tus alas al pensamiento
y déjate llevar;
vive y disfruta cada momento
con toda intensidad
porque creo en ti cada mañana
aunque a veces tú no creas nada.

Sentir que aún queda tiempo
para intentarlo, para cambiar tu destino.
Y tú, que vives tan ajeno,
nunca ves más allá
de un duro y largo invierno.

Abre tus ojos a otras miradas
anchas como la mar.
Rompe silencios y barricadas,
cambia la realidad
porque creo en ti cada mañana
aunque a veces tú no creas nada.

Sentir que aún queda tiempo
para intentarlo, para cambiar tu destino...

Abre la puerta, no digas nada......

23
Nov08

Dínamo

Gitano73

Estou outra vez perdido nos meus desvaneios

Olho-me no espelho e não recebo a imagem que gostava de volta

Faço caretas e sorrio. Sou tão infantil.

Um dia vou ser grande e tudo. Vou medir dois metros e ser avô de todos os conceitos.

Até lá... :) nem por isso.

Até lá fico-me por um beliscão e um sorriso malicioso

Repouso num sentimento que venha na minha direcção.

Nada é eterno e o amor, nos dias de hoje, é um pret-a-porter que quando passa de moda se muda de tons.

I'm an old fashioned kinf of guy.

Não sigo as modas e não vou atrás do ultimo perfume.

Centro-me em mim, hoje em dia, e sigo o velho companheiro do peito.

É o unico que nunca me falhou.

Mesmo quando penso em ti.

Embora a tua chamada, traga luz ao meu dia.

Traz também as dores da falta que me fazes.

Sou a borboleta do avesso de todos os amanheceres.

Sou o cavalo que não sabe pular para outros prados

e sou um peixe estranho que dentro do aquário mede o seu universo pelos vidros de uma montra de sentimentos mascarados de um pózinho de tudo o que é meu.

Tanta cosmética emprestada.. até cansa

Quando respouso as máscaras fica pouco mais que nada. Um nada que ninguém parece querer. Um nada que alguns dizem morrer por ter.

Fico dividido. Enaltecido e com um sabor a pouco mais que nada.

De que vale?

De que vale um bolso cheio de pequenos nadas?

Depois páro. penso. Vivo.

Sou um dínamo. Um dínamo irrepressível de profundidade.

Atrai. Dança e dispensa.

Sou eu. Um simples e candido....eu...

não sei bem ser diferente de mim...

mas vou saber... vou desaprender a criança e crescer no adulto sombrio

Estou cansado. Para já continuo o mesmo.

Amanhã...talvez me dê um amok....até lá.....

Up yours.! :D

 

19
Nov08

MU

Gitano73

Sometimes we go back in time

Sometimes for minutes, days or even months and years

We feel the need to live again certain moments

We do that through memories of moments

Sometimes we look back and see someone waking up.

That moment when she opens her eyes

betweeen sleep and getting to awakeness

she looks at you and... you look familiar enough be safe

and she closes the eyes again...feeling home

You do the same. Hugh her and hope to sleep again.

Those moments are priceless.

Nothing is wrong. nothing is out of place.

just two bodies in a warm hugh.

They need each other. They just can't accept it

Something was lost along the way

Something that's so easy to find again....but one of them...

Can't see it.

 

Miss U

 

12
Nov08

Tonterias

Gitano73

Por mais conceitos, chavões, verdades e trambolhões

Acabamos por nunca saber o que é a nossa verdade

Pulamos, sorrimos, choramos sentimos

Um tudo e um nada absolutos

Em si, em nós em ti, em mim, no mundo e no éter

Acreditamos, culpamos, revoltamo-nos e até berramos

Contra nós mesmo, por erros consecutivos

Por actos melhorados e enganos arquivados

As entidades não ajudam, a fé também não.

A perda de tudo isso muito menos

O amor passa a ser algo absolutamente secundário

As teorias sim..essas são importantes e têm de ser seguidas

São caminhos absolutos onde não se deve olhar para o lado e ver o mundo a escapar

São tonterías estranhas ao momento

e falsas com o sentimento. São contrárias a tudo.

Um dia....daqueles lá longe e preguiçosos.... acordamos

com o custar do costume..

abrem-se os olhos e o primeiro pensamento...

Vai lá ter.

"Lembro-me que era tão bom acordar com o teu braço a rodear-me. O mundo não me tocava nessas horas mágicas...... Deve existir um porquê algures e vou encontrar algo tão mau tão mau.. que me vai suportar o peso da minha escolha"

 

 

 

10
Nov08

Impermanência

Gitano73

As dores afinal nunca cessam de acontecer.

Amontoam-se baralhadas, inconformadas e mal estudadas

Os momentos confusos escolhem o pior caminho

E o coração doente quase que não sente

a saudade de uma ilusão

Mente-se a si próprio para que acredite nisso.

Engana-se uma e outra vez com pózinhos de

- "não foi nada e isso passa"

- "Eu sei que não passa. Porque me enganas?"

- "Com o  tempo tudo passa"

- "Ambos sabemos que não passa ó inquilino do peito.. apenas escolhemos calcar mais uma memória"

- "E não tem funcionado?"

- "Isso é um velho formato de coleccionador.. não tem resultado"

- "E o que podes fazer para mudar?"

- "Neste caso absolutamente nada. Seriam precisos dois"

- "Entendo.. então vai...corre e procura a outra metade.. descobre-a"

- "Já a encontrei. Não tive tempo de a descobrir."

- "Falhaste?"

- "Acho que sim. Morri na praia ao que parece"

- "..."

E é assim que no meio de monólogos se entediam pensamentos.

Tudo é impermanente  e não prezar todos os momentos é o maior erro humano.

 

 

03
Nov08

O Aperto

Gitano73

Como se definem apertos de coração?

Como se explica a alguém isso?

Como fazemos para a sensação de querer chorar desapareça?

Como é que se esquece?

Como é que se faz?

 

- "Não sei"

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D