Quarta-feira, 30 de Março de 2005

Galopar

A amargura toca-nos a todos. Ainda que sejas essa mulher que me tornou outra vez
capaz de espreitar por detrás de portas abertas à procura da vã felicidade.
Às vezes... é tão difícil dar-te apenas momentos. Às vezes é mesmo difícil dar-te...seja o que fôr....e às vezes torna-se quase impossível despir o disfarce... a máscara.. de tão habitual e justa que me está.
Essa, aperta-me os adentros com noções falsas de tudo aquilo que penso ser.
Hoje em dia só me sinto confortável no escuro.
Já vão sendo demasiados os copos que vou deixando para trás...vazios de esperança..como eu
Este jogo de xadrez que é a vida... leva-nos a deixar-nos levar ao xeque mate consentido
E é nessas alturas que olhamos para outros sinais...
Vemos flores a nascer.... vemos novas cores a surgir
Por vezes de recantos que de tão cinzentos e aborrecidos, nos espantam e desarmam
Quero mudar de peça.... estou farto de ser a Torre.
Quero ser o cavalo!
Xeque-Mate.
publicado por Gitano73 às 23:07
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 17 de Março de 2005

De costas

Caminho sempre contra o sol em direcção à minha sombra..
Teimo em abraçar a noite
que é fria e insensível..
mas é iluminada pela luz ténue da lua
E a suavidade dessa mesma luz
faz com que eu acalme todas as tempestades
que em mim resolveram habitar
Estou dividido.. acho que sou dividido
Acho que nunca vou ser o "eu" que busco em mim
Talvez isso não interesse....
talvez o objectivo não seja o principal..
mas sim a viagem.
publicado por Gitano73 às 23:09
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 15 de Março de 2005

Caminhada para o nada virtual

Sigo aquele caminho familiar que me leva a casa
Não me sinto em casa quando lá chego.
Sinto-me num local de passagem... como em todos os lados da minha vida
Eternos lugares de passagem
Como se eu não pertencesse a nenhum deles.
Como se estivesse no lugar errado à hora indevida.
Mas por vezes.. raras, é certo...
Ela está lá...
Às vezes ela personifica tudo o que espero e quero
Outras...nem por isso
Outras faz-me sentir como se estivesse no lugar mais errado da minha existência
Como se fosse feito especificamente para me mostrar o erro que cometi
Como se...como se...
Como se eu estivesse a viver a vida de outro alguém...

É tão raro reconhecer-me no que penso ou escrevo
Sabem... hoje vi uma borboleta..
Ela parecia tão indeterminada e indecisa quanto eu

Caem os panos..anuncia-se uma retirada e uma transformação
Estou a mudar.. e vocês também... com o que lêm.

A guitarra é já uma estranha....

Rest assure........Arthur.... rest assure..
I'm almost drowning in her sea....yeah
publicado por Gitano73 às 22:06
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 14 de Março de 2005

Um vazio....peculiar.

Hoje senti-me um desconhecido para mim mesmo
olhei o solitário céu nocturno, como faço sempre.. da janela da cozinha
Estamos em Março.. está frio e pela primeira vez o céu nada teve de mágico para mim
Era vazio e longínquo... era frio e mudo
Espremi resquícios de poesia daquela paisagem negra....
mas nada falou comigo..
É tão estranho quando por vezes me encontro vazio..
Como se alguém tivesse sugado tudo o que tenho....
Acho que estou a crescer... e isso assusta-me
Sou uma criança e gosto de o ser...
um sonhador incansável...que por vezes... também se sente vazio..

(They seem to be tamed)
publicado por Gitano73 às 22:38
link do post | comentar | favorito
Domingo, 13 de Março de 2005

Rascunho (mais um)

Pinto-te esperança num mar de ilusões.
Ondas de promessas desfeitas te ofereço
Longe de miragens etéreas de nada
Ofereces-me o teu mundo e eu não o mereço

Guardas em ti segredos de cores que nunca ouvi falar
Reservas suspiros em verbos que nunca senti
E prometes gritá-los todos nos meu braços
Eu que nunca dei grande valor a quem abraçava e por isso sofri

Sussurros silenciosos nos envolveram
Enquanto as nossas roupas quedavam mortas no chão
Sem sobra de nós, sem canções de vida e silhueta
Naquele momento, ao olhar-te nos olhos... vi o pecado de uma vida... e pedi-te perdão
publicado por Gitano73 às 00:39
link do post | comentar | favorito
Sábado, 12 de Março de 2005

A profundidade... é uma maldição... (Parte I)

Um longo caminho separa-me de vários sonhos de criança.
Vou preenchendo uns e outros com pedaços de realização efémera...
Tenho razões para acreditar...que o amanhã é sempre melhor
Talvez seja um optimista... talvez seja um renegado
ou mesmo um sonhador acostumado
Não me faz a mínima diferença os planos que traço..
nunca os consigo realizar...
Vejo claramente o mesmo caminho de sempre...em frente.
É mais um dia na minha vida...e mais uma noite de sonho.
O elemento comum é sempre o mesmo... alcóol...
Mais um dia passa... mais uma garrafa acaba..
Mais uns quantos sonhos se guardam naquela gaveta escura que já cheira a fastio..
Amanhã será mais uma porta aberta para realizar mais um desses sonhos
A profundidade... é uma maldição...
Só a sente quem sente.
Gostava de ser simples
Gostava de ser mais simples do que sou.
Gostava de poder ver as coisas tal como elas são.
Não de fazer estes castelos nas nuvens... nem festas de gotas de chuva.
Mas...por outro lado.... se o fosse...não estaria aqui a escrever....
publicado por Gitano73 às 23:30
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 11 de Março de 2005

O que será?

O que será que me dá
Que me bole por dentro, será que me dá
Que brota à flor da pele, será que me dá
E que me sobe às faces e me faz corar
E que me salta aos olhos a me atraiçoar
E que me aperta o peito e me faz confessar
O que não tem mais jeito de dissimular
E que nem é direito ninguém recusar
E que me faz mendigo, me faz suplicar
O que não tem medida, nem nunca terá
O que não tem remédio, nem nunca terá
O que não tem receita

O que será que será
Que dá dentro da gente e que não devia
Que desacata a gente, que é revelia
Que é feito uma aguardente que não sacia
Que é feito estar doente de uma folia
Que nem dez mandamentos vão conciliar
Nem todos os ungüentos vão aliviar
Nem todos os quebrantos, toda alquimia
Que nem todos os santos, será que será
O que não tem descanso, nem nunca terá
O que não tem cansaço, nem nunca terá
O que não tem limite

O que será que me dá
Que me queima por dentro, será que me dá
Que me perturba o sono, será que me dá
Que todos os tremores me vêm agitar
Que todos os ardores me vêm atiçar
Que todos os suores me vêm encharcar
Que todos os meus nervos estão a rogar
Que todos os meus órgãos estão a clamar
E uma aflição medonha me faz implorar
O que não tem vergonha, nem nunca terá
O que não tem governo, nem nunca terá
O que não tem juízo

(Chico Buarque - O que será?)

It just fits like a glove...... doesn't it?
publicado por Gitano73 às 21:48
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 2 de Março de 2005

Despedidas

Como são tristes as despedidas..suadas e sentidas
Por vezes acontecem... confesso não perceber bem porquê...
talvez sejam parte obrigatória desta viagem chamada vida,
um caminho préviamente definido e acordado que assim é que tem de ser.
Confesso que cresço cada vez um pouco mais...com cada despedida.
Faz-me repensar perdas e danos...
O conceito é estranho e, queiramos ou não, algo que nunca estamos verdadeiramente
preparados..
Mas elas pairam...sobre nós....qual fantasmas prontos a assombrar-nos..
as despedidas
Que nos convidam a que as pessoas de quem nos despedimos, façam parte integrante
das nossas memórias futuras.. e quantas e quanta vezes recorremos a elas.....
Odeio despedidas. Sou um idiota. Mas esse é apenas um dos meus defeitos.
Gosto de perder o olhar no horizonte e pensar nas caras de quem já me despedi.
Nas lágrimas que não gosto de confessar e nas recordações que não deixam de me assombrar.

"all the love-sick rejections that acompany the company that I keep" Counting Crows

Shut the fuck up Arthur!!! I can't stand you anymore.
publicado por Gitano73 às 22:36
link do post | comentar | favorito

Snapshot de um passado recente

Por momentos tudo o que ouvi foi a explosão dos silêncios.
No olhar transportavas os invernos e verões de todas as recordações.
Nos ombros pesaram-te inseguranças ténues de quem baloiça numa indeterminação.
E eu.... mantive-me a olhar-te....e a fumar.. e agarrado a tudo aquilo que me ligava a este mundo..
O meu copo.
O gelo tilintava ao descongelar..
E o suave som que rompia os ditos silêncios, transportava-me a outros tempos... outros lugares.
Comuns ou não.
Serias capaz de me mentir?
A tua mentira confundir-se-ia com a minha?
As nossas omissões brindam juntas em madrugadas frias de sentimento e quentes de descontentamento.
Banhe-me aquele arco-íris de cores mais ou menos pálidas do sofrimento que chamo a mim nas alturas de comiseração.

Shhh stay put Arthur....shhhh go to sleep......
publicado por Gitano73 às 22:18
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Too close to heaven

. I've got spaces...

. ...

. I love all my sad songs

. Apetece-me....para 2017

. Past....future.....

. O Principezinho

. ...

. This is how you remind me...

. Back where I belong!

.arquivos

. Abril 2018

. Janeiro 2018

. Maio 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Abril 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds