Domingo, 10 de Maio de 2009

Sem título...

Engraçado....

Como de vez em quando nos sentimos tão sós.

Tudo à nossa volta grita que não é assim.

Mas, teimosamente, agarramo-nos a uma vítima imaginária criada por nós

O amor existe e é real.

Nada mais o é... como é que teimo em cair nestes buracos de auto-comiseração?

Diz-se que para largar-mos algo definidamente temos de fazer uma ultima visita.

Espero que seja assim

 

publicado por Gitano73 às 22:29
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De DianadosBosques a 11 de Maio de 2009 às 13:12
A expectativa é maior que o resultado...
Pergunto-te qual destas afirmações é verdadeira para ti..

1ª - Tenho de encontrar e estabilizar o yin e yang que tenho em mim...
Experimentar euforia e bem-estar quando estou só, pq contenho em mim o masculino e o feminino..
Eles estão em harmonia.. eu estou equilibrado...

2ª - Tenho que procurar em algo ou em alguém a minha parte oposta...
Preciso disso, para completar a metade que me falta e assim encontrar-me e conter em mim o masculino e o feminino...
Assim consigo o equilibrio... assim, não estou só...

Procurar obsessivamente a lua? Mas como, se ela está dentro de ti...
Pensa nisso... :)

Beijo
De Anónimo a 12 de Maio de 2009 às 11:47
O Amor existe e é real..nada mais o é. - DIZES TU.
Todo o sentimento é real. Todo o senti físico é rela.
Experimenta dar uma marretada num polegar e depois diz-me se a porra da dor não é real.
Acorda para a realidade. !!!
De Gitano73 a 12 de Maio de 2009 às 16:39
Digo sim. O blog é meu :)
A base em que digo que apenas o amor é real é a da impermanência. Passo a explicar: A marretada aplicada no dedo irá produzir dor, essa dor virá e irá embora no seu tempo apropriado. Logo não é uma verdade absoluta nem intemporal.
O amor é real. Mais real que a dor e mais tangível que algo sólido.
De Anónimo a 12 de Maio de 2009 às 23:13
Assim posso deduzir que o amor é permanente.. infindável, é isso ?
Já amaste e esse amor nunca findou ? Ou é infinito enquanto dura ?
Tens aí uma boa base para o proximo post.
Mas tens razão, o blog é teu e podes dizer o que te apraz. Os teus comentadores também podem ser de opinião distinta.
De Gitano73 a 13 de Maio de 2009 às 22:23
O amor incondicional é.
Todos têm direito a ter uma opinião :)
Esta é a minha.
De Anónimo a 14 de Maio de 2009 às 11:01
Se aínda te fôr permitido pensares por ti mesmo, espero que retenhas na tua mente que o único amor incondicional e infinito é o que temos aos nossos filhos.
Todo o outro amor, meu caro, é perecível. Tu sabes disso, eu sei disso ..e pelos vistos mais gente sabe disso, e treme.
De Gitano73 a 14 de Maio de 2009 às 21:33
Onde está isso escrito? Parece algo limitativo esse tipo de pensamento, "minha cara". Tem todo o direito à sua opinião, como eu à minha.
Se é amor não é perecível.


De Anónimo a 14 de Maio de 2009 às 21:46
Olha que sim, olha que sim. Não falemos de factos concretos. Falemos do conceito de amor puro e incondicional. Amar assim é amar a pessoa tal e qual ela é como a conhecemos. É precisamente amarmos essa pessoa como ela é quando a conhecemos.. mudá-la implica que não nos agrada a sua forma inicial de ser. É dar-lhe a liberdade de ser como é. É aceitar-lhe os defeitos, que todos temos. É não a prender, é permitir-lhe o espaço que todos precisamos, para pensarmos, para sermos. É permitir-lhe interagir e conviver saudavelmente com outros, pois a vida duma pessoa é feita também pelos amigos e pela familia.
Amar duma forma pura, é amar sem recorrer a artefactos, que por mais encantadores que pareçam, não passam de artefactos.
Amar incondicionalmente, é ver a perfeição onde ela não existe, é ver a beleza onde talvez outros não a vejam.
Isso, esse amor assim infindavel e incondicional, só o sentimos pelos filhos.
De Salomé a 12 de Maio de 2009 às 15:56
O QUE É O EGO? é a totalidade das tuas memórias que, tendo tomada demasiada importância no decorrer dos anos, acabam por se tornar bastante poderosas para invadirem a tua individualidade.

EXPLICO: a maneira como viste um acontecimento foi registada na tua memória. Porque esse acontecimento foi particularmente feliz ou dificil de viver, decidiste que nao devias esquece-lo. Dessa memória tiraste uma conclusão, que se tornou uma crença que procura fazer-te evitar um sofrimento se o acontecimento foi infeliz.
Essas memórias tornam-se personalidades em ti e têm a sua própria vontade de viver; alimentam-se da energia que lhes dás cada vez que elas ou a sua maneira de pensar dirigem a tua vida. São multiplas vozinhas que ouves dentro de ti.
Nada mais te resta agora do que abrir o espirito e aceitar que deixamos um mundo mental dominante para passar a um mundo mais espiritual, isto é um mundo em que o teu SER deve retomar o seu lugar.

Mas tu já sabes que quem se recuza a aceitar esta transformação, terão cada vez mais dificuldade em ser felizes, e em aceitar a vida.

Mas eu estarei sempre aqui para te apoiar na tua Historia... que só agora começou.

Amo-te

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. ...

. I love all my sad songs

. Apetece-me....para 2017

. Past....future.....

. O Principezinho

. ...

. This is how you remind me...

. Back where I belong!

. Another ending

. O mundo lá fora

.arquivos

. Maio 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Abril 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds